Desenrola: negativados por dívidas de bens e imóveis poderão renegociar com bancos nesta fase

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que bancos poderão renegociar dívidas de pessoas negativadas por financiamentos de bens como imóveis e carros na atual fase do Desenrola. A etapa atende dívidas de qualquer valor, desde estejam inscritas até 31 de dezembro de 2022 e ligadas a um CPF com renda máxima de R$ 20 mil, disse que fase atual de renegociações bancárias tem apenas limite de renda, de até R$ 20 mil.

– Desde que sejam dívidas até 31 de dezembro, junto ao sistema financeiro. O teto é somente limite de renda – disse o ministro ao ser questionado pelo Globo.

A fase atual do Desenrola prevê a renegociação do cidadão direta com os bancos. O cliente entra no site da própria instituição para solicitar a renegociação. Como incentivo ao banco, o governo promete dar um crédito presumido. Para cada R$ 1 de renegociação que o banco concede, ele pode apurar R$1 de crédito presumido. Isso libera espaço para que a instituição faça novas operações de crédito.

Haddad disse que, nesta fase, o Tesouro Nacional vai colaborar com até R$ 50 bilhões em crédito presumido aos bancos.

Fonte: Folha de Pernambuco