IRPF 2023: mais de 7 milhões não enviaram a declaração; prazo termina quarta

Prazo para prestar contas com o Leão termina quarta-feira e 32,2 milhões de pessoas entregaram o formulário ao Fisco

O prazo para enviar a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) termina na quarta-feira (31), e 7,3 milhões de contribuintes ainda precisam enviar o formulário de prestação de contas ao Fisco referente ao exercício de 2022. Até ontem, a Receita Federal recebeu 32.168.509 declarações — sendo 714.331 no Distrito Federal — de um total esperado de 39,5 milhões neste ano.

Dos registros feitos até agora, 64,83% vão receber restituição, e 22% usaram o modelo pré-preenchido, inaugurado no ano passado. Com ele, informações de rendimentos, deduções, bens, direitos, dívidas e ônus reais são importadas da declaração do ano anterior, do carnê-leão e das declarações de terceiros, como as empresas contratantes e serviços de saúde e prestadores de serviços.

Quem entregar a declaração do IRPF fora do prazo está sujeito a multa que vai de R$ 165,74 a 20% do valor do imposto devido. São obrigados a declarar quem recebeu, em 2022, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 — como um salário de R$ 2.379.97 — ou ganhou mais de R$ 40 mil em rendimentos isentos, que incluem bolsas de estudo, lucros e dividendos de empresas e indenização por rescisão do contrato de trabalho.

Alerta de golpe

A Receita alertou, nesta reta final, para um novo golpe que visa pessoas que já declararam o Imposto de Renda. Os golpistas enviam e-mails se passando pelo Fisco e informando às vítimas em potencial que houve erros nas declarações. As mensagens contêm links para sites maliciosos, que podem instalar vírus e roubar informações sensíveis dos contribuintes.

“A Receita Federal ressalta que não envia comunicações por e-mail ou mensagens de texto solicitando a correção de erros em declarações por meio de links”, frisou. O órgão destacou ainda que usa principalmente o Portal e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte) e o site institucional para divulgar informações de forma segura. Se houver inconsistência nos dados declarados pelo contribuinte, o registro cairá na chamada “malha fina”.